Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Parmegiana de Sardinhas e Berinjela


Depois de toda a conversa abaixo, com algumas informações sobre a sardinha, que tal uma receitinha com ela e com um legume que adoro, a berinjela, combinação que na minha opinião ficou perfeita, façam vocês também e depois me contem, ok?
A receita da parmegiana, está no encarte Gastronomia de 31/10/2008, do jornal Zero Hora.
Vamos à receita:

Ingredientes:
- 600g de berinjela em rodelas
- 2 dentes de alho inteiros
- 4 colheres (sopa) de azeite de oliva
- 1 e ½ xícara (chá) de polpa de tomate
- 1 maço de endro
- 500 g de sardinhas limpas
- queijo parmezão ralado
- sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere a berinjela com sal e coloque sobre uma peneira por 15 minutos.
Lave e seque as fatias com papel toalha.
Grelhe a berinjela. Reserve.
Doure o alho no azeite; junte a polpa de tomate, sal e pimenta e cozinhe, em fogo médio, por 10 minutos.
Elimine o alho e junte o endro picado.
Lave bem as sardinhas e seque. Disponha as sardinhas abertas em um refratário untado com azeite.
Leve ao forno médio, pré aquecido, por 5 minutos.
Em um refratário, faça uma camada de berinjelas e tempere levemente com sal.
Distribua por cima o molho e algumas sardinhas.
Polvilhe com sal e com queijo ralado.
Repita a operação até esgotarem os ingredientes.
Leve ao forno médio, pré aquecido, por cerca de 30 minutos. Sirva imediatamente.

Bom Apetite!!!




Sardinha, a mais popular fonte de ômega-3

O tesouro das sardinhas.
Pequenas, saborosas e populares, elas abrigam o famoso ômega-3 que ajuda na prevenção de diversos males. Aprenda a apreciar esse pescado cheio de riquezas

Elas costumavam nadar em grandes cardumes pelos mares da Sardenha, ilha localizada no Mediterrâneo — daí seu nome. Aventureiras, navegaram quilômetros até disseminar populações de sua espécie pelos vários oceanos do mundo . Ao longo de sua missão desbravadora, vieram parar nas águas — e no prato — dos brasileiros, formando a família Sardinella brasiliensis, a típica iguaria nacional. Por ser tão comum e ter um baixíssimo custo, nem todo mundo se dá conta de que a sardinha esconde uma riqueza inestimável.
“Ela contém ácido graxo ômega-3 em quantidades que não deixam nada a desejar a parentes estrangeiros, como o salmão, que levam a fama de ser as melhores fontes da substância”, garante o especialista em ciência e tecnologia dos alimentos Luiz Henrique Beirão, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
A sardinha não só contém ômega- 3 como fornece o ácido graxo em suas melhores variantes: o eicosapentaenóico, conhecido como EPA, e o docosahexaenóico, o DHA. A título de comparação, vegetais como a linhaça fornecem a gordura como ácido alfalinolênico.
“Essa substância é convertida em EPA e DHA graças a enzimas no nosso organismo”, explica Jorge Mancini, especialista em tecnologia de alimentos da Universidade de São Paulo (USP). Mas essas enzimas nem sempre dão conta do recado, especialmente no caso de idosos. “E isso compromete o aproveitamento da tal gordura”, conclui Mancini. Já a sardinha se alimenta de algas ricas no ácido alfalinolênico. Assim, a pequena notável se encarrega de transformá- lo na dupla benéfica, que fica pronta para ser absorvida por qualquer um, em qualquer situação.
“No corpo humano, essas gorduras do bem minimizam a ação nociva de compostos inflamatórios”, explica o nutrólogo Celso Cukier, do Instituto de Metabolismo e Nutrição, em São Paulo. Dessa forma, ajudam na prevenção de uma série de males que dão as caras em locais díspares como o coração, o intestino e as articulações. Sem falar que ainda entram na constituição da retina e da massa cinzenta. Recentemente, um trabalho da UFSC analisou as quantidades de ômega-3 em diversos peixes da costa brasileira. E adivinhe... “A sardinha foi a campeã de EPA, ficando à frente de pescados como o bonito e o atum”, confirma Visentainer, um dos responsáveis pela avaliação.
Finalmente, como qualquer peixe que se preze, ela é fonte de proteínas de excelente qualidade, ideal para manter os músculos em dia, e fósforo, um mineral que participa da mineralização dos ossos. Portanto, não faltam motivos para que se inclua essa aventureira dos mares no cardápio.

Para aproveitá-la direito:
O cuidado para comprar o peixe é praticamente o de sempre: “Verifique se os olhos estão brilhantes e as brânquias, avermelhadas. Mas não se preocupe com escamas soltas, porque isso é normal nas sardinhas”, ensina a oceanógrafa Maria Cristina Cergole, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, em São Paulo. Fique ainda mais atento ao odor.
“A sardinha nunca deve ter cheiro de ranço, um sinal de oxidação”. Por fim, evite as frituras. Temperaturas muito altas degradam o ômega-3.

O que é que a sardinha também tem:
Calorias 164
Fósforo 578 mg
Zinco 1,8 mg
Ferro 1,3 mg
Cálcio 438 mg (em 100 gramas, que equivalem a três unidades).

Essa matéria é parte integrante da Revista Saúde da Editora Abril, escrita por Adriana Toledo e Leticia Raposo.

10 comentários:

»¤Þ䵣䤫 postou o comentário número:

Que delicia de receita Rachel! Muito apetitosa! Parabéns amiga! Bjinhos

Abobrinhas na Cozinha postou o comentário número:

Rachel, que delícia! E a combinação de beringela com sardinha...incrível!
Hum, me deu água na boca agora! hehehe
Beijocas!

Mariazinha postou o comentário número:

Olá Rachel, Aqui em casa gostamos muito de sardinha, Aliás os portugueses são muito apreciadores de sardinha... eu faço sardinha até na panela de pressão, e fica ótima!
E pena que o meu esposo so gosta de sardinha na brasa.
Parabéns!!!
A sua receita está muito apetitosa.
Bjs
Mariazinha

welze postou o comentário número:

receita super saudável, mas estou de olho mesmo é nesses cookies. hoje faço sem falta.

Cláudia M. postou o comentário número:

Rachel, para mim essa é uma maneira super original de acompanhar as sardinhas. Nós aqui comemos quase sempre assada, com batata cozida e pimentos, ou salada de alface e tomate.
Gostei muito desta receita.

bjs

Tatiana postou o comentário número:

Arrasou (de novo)! Receita linda, prática, saudável e com certeza deliciosa!!!

Bjs

pimentacalabresa postou o comentário número:

Oi Raquel!
Ontem tb fiz um post em defesa das sardinhas no meu blog!
Adorei sua receita, tá marcada pra fazer!
Bj
Fernanda

Ozenilda Amorim postou o comentário número:

Oi Rachel, é um prazer ter você como minha seguidora, volte sempre, pois será muito bem vinda. Amei essa receita, pois gosto muito de sardinha e de berinjela, deve ser uma combinação interessante mesmo.
Quanto ao gato (ou gata, não sei ainda) gostei dele desde a primeira vez que eu o vi e queria muito adotá-lo, mas o bichinho deu trabalho.
;)

Fla postou o comentário número:

Menina sabe que eu nunca tinha comido sardinha assim...in natura. Aí minha mãe fez e eu fui comer...ai não consegui. É o mesmo gosto da sardinha em lata (claro né, é sardinha...rs).
Mas a parmegianna de berinjela eu amo!
=)
beijos

Follow Me on Pinterest Web Analytics